Big spender or big buzzkiller?

 

meryl-streep

Com os Óscares já amanhã, dia 26 de Fevereiro, já se pode sentir aquele murmurinho de quem vai vestir quem  e começam as apostas de quem vai ser a princesa e quem vai ser a gata borralheira que não teve ajuda da fada madrinha. Sim, é um desfile de futilidade para meia dúzia de fotos, portanto este ano o falatório começou mais cedo com algo que nem eu esperava.

Dizia-se que a tão famosa e incrível Meryl Streep ja tinha conversado com Karl Lagerfeld, editor criativo da Chanel para lhe fazer uma versão de um vestido da colecção. Pois supostamente ligaram-lhe por parte da actriz mesmo em cima da hora, com os seus costureiros em todo o seu modo ON, a dizer que a actriz já não iria usar o vestido que encomendou, pois outro designer lhe tinha ligado a dizer que lhe pagava se vestisse o seu vestido.

Já vieram desmentir tal notícia, mas o que é certo é que foi o próprio Karl que disse isto numa entrevista. Se realmente isto for verdade é sem dúvida uma falta de respeito ao criador que diz que dão os vestidos às celebridades, mas não lhes pagam. Vestidos que têm diversas fases, desde a ideia ao produto final que como todos sabem, são absolutamente mágicos nestas ocasiões.

Espero mesmo que tudo passe de um mal entendido pois tinha grande admiração por ela e não esperava que se vendesse assim, até porque vai contra todos os princípios morais da actriz. Artistas percebem como é difícil darem-nos o crédito devido, dessa forma o mínimo que podemos fazer é ter respeito pelos outros.

Por favor, isto só pode ser mentira… Amanhã as dúvidas serão tiradas e as notícias sobre este evento divulgado.

Fashion for man

 

 

20170127_224105.jpgPessoalmente dou bastante valor ao que um homem veste, como se apresenta, pois significa que tem brio.

Não é uma questão de andar se fato todos os dias (apesar de um homem de fato ser qualquer coisa de outro mundo, com o fato certo).

Acho que já passou a fase em que eram as mulheres que se interessavam por ir às compras e sentir-se bem com o que escolhe. Aliás, tenho amigos que me pedem para ir com eles às compras para dar uma opinião e mais virão, tenho a certeza.

Quando o David Beckham veio ao Mundo como metrossexual foi associado a homossexualidade apenas porque se vestia bem e se tratava bem. Sendo casado com a Vitória, não me parece que tivesse outra hipótese e também nesse aspeto tinham que combinar. Por favor deixem os homens terem brio e irem às compras à vontade e demorar a escolher a roupa e usem cremes sem se sentirem “gays”. Calças ao fundo da cintura é tudo menos sexy, aquelas quatro números acima, também não.

Na minha adolescência quando lia a bravo e a super pop (grandes hits cá em casa) li um artigo que nunca esqueci e dizia para estar sempre preparada, pois nunca se sabia quando é que o rapaz de quem gostávamos aparecia. Poucos dias depois estava em casa, de roupão, óculos e cabelo por todo o lado quando o impensável aconteceu: o rapaz de quem gostava apareceu para me convidar para dar uma volta e eu de pijama. Acreditem, nada agradável. Principalmente porque ele ficou petrificado e eu esqueci-me de como se falava.

Conclusão, para as mulheres é aceitável tratarem de si “para os seus homens” e os homens não têm que ter medo de mergulhar no Mundo da Moda, têm-nos sempre a nós para vos ajudar.