(Don’t) let me sleep

(Don’t) let me sleep

Odeio este tempo bipolar (irónico) que nos faz querer sair da cama e aproveitar os raios de Sol, mas ao mesmo tempo enfiarmo-nos na cama com o ar condicionado como se estivéssemos na Sibéria com a maior das molezas.

O que mais me deixa frustrada é que quando na verdade saio à rua sinto-me incrivelmente inspirada e sinto-me bem. Mas para me sentir bem, estou-me a sentir mal primeiro. É toda ela uma simplicidade complexa.

Tenho uma casa para decorar e até o nome das cores me esqueci, tenho a cabeça a rebentar e uma nova fase da minha vida a iniciar e aqui estou eu a esconder-me debaixo dos cobertores. “Vamos, anda… olha ali coisas brilhantes e um pónei…e a Audrey Hepburn em cima dele com coisas brilhantes e quer-te levar a lanchar debaixo daquele Sobreiro com coisas boas que não engordam e são brilhantes também.” Basicamente é este o meu discurso para me convencer, não faço estatísticas porque chumbei.

Aproveitem o bom tempo, contudo façam um estudo intensivo sobre para onde vão, caso contrário estarão mesmo a meter-se na highway to hell.